FANDOM


Juste
Pride of Being Juste
Justeeee
Dados históricos
Fundadora Artèmise Mandeville
Fantasma Édouard Charon
Professora-Chefa Delphine Andrieux
Monitor Latvia L. Canto-Sperber
Taças Campeonato de Casas 3
Torre Leste
Cores Azul e Branco
Uniforme de Quadribol Azul


Assim como a fundadora da casa azul, Artèmise Mandeville, os justinos, de maneira geral, possuem códigos pessoais de valores e virtudes que regem suas vidas como se fossem leis. Dessa forma, estão sempre buscando fazer valer aquilo que acreditam ser o melhor e mais justo para todas as situações, sem medir esforços para isso. Pode-se dizer, assim, que são estudantes teimosos - e cabe a cada um julgar isso como bom ou ruim.

Artèmise ensinou aos seus primeiros alunos que eles deveriam honrar a casa e orgulhar-se de a ela pertencer (vide o lema, Pride of Being Juste). Tal ensinamento perpetuou-se através de todas as gerações e é aspecto marcantes nos azuis - sendo essa a principal razão que os leva a se esforçar no que tange a competição inter-casas. Assim, quando atingem boas colocações no campeonato, orgulham-se do feito e fazem questão de mostrar a todos o quão satisfeitos estão. Por essa razão (e por conta de características que serão abordadas depois), muitas vezes passam a imagem de serem estudantes metidos, pouco modestos e extremamente egocêntricos - o que não é, de todo, uma mentira, ainda que não possa ser considerado uma verdade absoluta.

Apesar disso, os estudantes da Juste são conhecidos por manterem grandes círculos sociais, nos quais são bem vistos devido a sua simpatia (ausente apenas em caso de richa com outra casa), seu charme (natural e/ou proposital) ou seu jeito de ser divertido e engraçado - ou, ainda, por todas essas características em conjunto. Dificuldade de relacionamento é um termo praticamente desconhecido por eles, que são, aliás, famosos pela quantidade de relacionamentos amorosos em que costumam estar envolvidos. Extremamente leais aos seus amigos e colegas de casa, não é exagero dizer que fariam (praticamente) tudo para ajudá-los em quaisquer situações.

Tal como o fantasma da casa, Édouard Charon, não desistem de realizar seus sonhos, fazendo o que for possível e necessário para atingir seus objetivos. O TOC que possui por limpeza e organização, presente também em antigos chefes da casa, é visível nos estudantes de forma muito mais moderada, tornando seus dormitórios e Salão Comunal ambientes confortáveis e agradáveis para eles mesmos.

Informações


Fundador: Artèmise Mandeville
Lema: "Pride of Being Juste".
Cores Oficiais: Azul e branco.
Diretora responsável: Delphine Andrieux, professora de Herbologia.
Fantasma: Édouard Charon, divertido e baixinho.
Localização do Salão Comunal: Torre Leste.
Uniforme de Quadribol: Azul

Salão Comunal


Nas paredes, cobertas por tapeçarias delicadas e antigas, quadros de estilo clássico. Poltronas e sofás foram aleatoriamente dispostos, onde é possível se acomodar nas noites mais frias. O salão comunal da Juste era, inicialmente, simples, com poucos detalhes e móveis, arquitetado pela fundadora da casa, Artèmise Mandeville, a bela jovem do quadro sobre a lareira que, caprichosa, usa vestidos diferentes a cada estação e não segura a língua antes de comentar sobre os transeuntes, seja sobre suas peles, roupas - especialmente nós de gravatas - ou tons de voz. Com o passar dos séculos, cada diretor adicionou um pequeno artefato ao ambiente, que acabou sobrecarregado de tapetes, quadros e abajures. Por cortesia de alguns dos últimos chefes, o Salão agora conta com feitiços auto-limpantes nos tapetes, poltronas e sofás, revistas de moda formal espalhadas pelas mesinhas de canto e panfletos, que se auto-atualizam, com a programação cultural da ilha e com dicas de lazer.

Scjuste

Salão Comunal da Juste

Azul, a cor da casa, não predomina sobre o dourado, que ricamente cobre o chamativo lustre, as pilastras, o teto e as molduras. Contudo, os sutis detalhes em azul-pálido dão um ar ingênuo ao ambiente, adornando o próprio teto e pilastras que o sustentam, além das tapeçarias das paredes e almofadas. O chão, assim como as mesas para estudo, são de rosewood, e as janelas de dois andares, protegidas por cortinas azul-cinzento, fornecem uma belíssima vista da praia, a muitos metros de altura, uma vez que o salão localiza-se em uma torre. Discretas portas e escadas direcionam os alunos às escadas de seus respectivos dormitórios, sendo proibida a entrada de meninos nos dormitórios femininos, com direito a feitiço fortíssimos para impedir.

Utilizado como mural de recados, o quadro do antigo mensageiro Lord Mercúrio repassa os avisos dos alunos, anunciando de quem e para quem e gritando a mensagem a plenos pulmões, sempre em rimas, assim que avista o destinatário. Por esta particularidade, foi apelidado pelos alunos por Lord Mercúrio do Barulho e teve “(do Barulho)” riscado ao lado de seu nome, com tinta permanente. Ademais, apenas os dois sofás próximos a lareira, conhecidos por “sempre cabe mais um”, chamam atenção. Fazendo jus ao apelido, os sofás aumentam magicamente sempre que necessário e nunca falta espaço para quem quer sentar. Talvez como recompensa exigida por sua generosidade, eles se apoderam de pequenos objetos que os alunos deixam aparecer nos bolsos, preferencialmente moedas. Os únicos alunos que sabem como reaver os objetos são os setimanistas, que passam o segredo de ano em ano com a desculpa de que utilizarão o dinheiro para ajudar na formatura. Recentemente foi colocada na mesa que fica entre os sofás a Televisão Bruxa criada por alguns estudantes no Laboratório de Engenharia Mágica e modificada pela professora chefe para concertar os pequenos defeitos existentes. Assim os estudantes podem assistir aos jogos de quadribol em tempo real e também alguns outros eventos variados – mas a preferência é sempre do esporte principal no mundo mágico, já que foi criada especialmente para isso.

Os dormitórios possuem quatro ou cinco camas, todas de rosewood, assim como os armários e escrivaninhas que são dispostos nos cantos, variando os lados de quarto pra quarto. Toda roupa de cama varia entre tons de azul, branco ou ambos. Nos banheiros femininos, há um grande espelho que, com uma voz comicamente afetada, dá dicas sobre maquiagem e moda, às vezes sem que sua opinião seja consultada. As respostas do espelho são limitadas e se restringem a esses dois temas. Assim, ele utiliza frases aleatórias para responder assuntos que fujam de sua área de conhecimento. Nada raramente, trava em determinada fala repetindo-a incansavelmente sempre que alguém lhe dirige a palavra ou, às vezes, apenas aparece a sua frente. Nos dormitórios masculinos, as almofadas ocasionalmente se atiram pelo quarto, acertando alguém e iniciando uma guerra de travesseiros. Não se sabe há quanto tempo elas fazem isso ou quem as enfeitiçou, mas é notável que os Elfos Domésticos não são fãs das penas e plumas espalhadas pelo local no dia seguinte.

Alunos Importantes


Ver também