FANDOM


Persévérer
Persévérer Squad
Ps
Dados históricos
Fundadora Amandine Feullière
Fantasma Edmond Baltar
Professora-Chefa Nyx Erhardt
Monitor Perseu Relier Le'Monde
Taças Campeonato de Casas 4
Torre Sul
Cores Cinza e Prateado
Uniforme de Quadribol Prateado


Perseverança, em todas as situações, é o seu marco. E numa visão inicial, a Persévérer pode ser chamada de casa dos perversos, pervertidos, maníacos, anarquistas, vândalos. Mas nem por isso a casa deixou de ser conhecida por suas figuras altruístas e leais, pois um Persévérer é mais profundo e complexo que isso. Num geral, são extremamente competitivos, mesmo com seus colegas de casa.

Mas por mais que matem uns aos outros dentro do salão, motivo para viverem trocando de chefe, sabem ser unidos por uma causa, não é a toa que são chamados de Esquadrão Persévérer, o que acarreta em elementos visivelmente oportunistas. Fazem sempre o que lhes parece certo, seja para o bem ou para o mal, ainda que algumas decisões cobrem de certos sacrifícios.

Contrariando o que se poderia pensar de pessoas egocêntricas, os alunos da Persévérer não costumam humilhar outras casas quando de uma vitoria, concentrando-se neles próprios – afinal só uma coisa realmente importa: os cinzentos, perdendo ou ganhando. Estão preocupados demais consigo mesmos para humilhar/notar/ligar para os outros.

Não costumam apreciar regras e estão sempre prontos para lutar pelo que acham correto, acabe isso numa detenção/expulsão ou o que seja. Se planejam, conquistam. Mas é comum agirem por impulso, sem medir as consequências de seus atos. A Persévérer é também é a casa dos alunos mais desinibidos, para estes nada é tabu, nada é vergonhoso. Determinados e normalmente sinceros – desde que isso não perturbe seus planos – vão até ao fim se isso significa o culminar de seus desejos (sejam eles quais forem).

Informações


Fundador: Amandine Feullière
Lema: "Persévérer Squad".
Cores Oficiais: Cinza e Prateado.
Diretora responsável: Nyx Erhardt.
Fantasma: Edmond Baltar, o pirata.
Localização do Salão Comunal: Sul.
Uniforme de Quadribol: Prateado

Salão Comunal


A ala Sul do Castelo de Beauxbatons é conhecida por seus corredores quase que labirínticos, e é em meio a esse emaranhado de passagens que fica a entrada para o Salão Comunal da Persévérer. Por ser uma Casa muito reservada, através dos tempos muitos mitos surgiram acerca dessa sala que só os cinzentos podem penetrar. É um cômodo recoberto de tapetes e móveis escuros, mas, ao contrário do que se pensa, é iluminado, amplo, aconchegante e relativamente tranquilo.

SCperse

Salão Comunal da Persévérer

Uma parede sólida serve de entrada para este Salão, agora também guardado por uma Armadura Enfeitiçada. Enquanto não se diz a senha certa para que a parede desapareça, podendo-se, assim, adentrar, a Armadura Guardiã permanece hostil, brandindo sua espada e movimentando-se de um lado para o outro. É inofensiva para alunos da Persévérer, se bem que alguns corajosos a utilizam para praticar movimentos de Esgrima. Dita a senha, a parede abre-se dando acesso a uma escada em caracol de 17 degraus que levam para o topo da torre, em diretamente ao Salão Comunal. A escada é de pedra clara, estreita e gasta pelos anos.

Embora reservados - ou talvez alienados -, os Persévérers se interessam por grandiosidade. Assim, o arejado Salão Comunal é cheio de poltronas e escrivaninhas e possui uma lareira de tamanho considerável cuja sua borda apresenta runas antigas em prata. É dividido em dois andares – se não contarmos com o alçapão. No primeiro piso encontra-se o salão em si, e sobre uma boa parte dele estende-se um dos maiores tapetes de Beauxbatons, e no meio de seu teto, o maior lustre encontrado no Castelo. Ao longo dos anos, contudo, muitos acidentes aconteceram a esses objetos. Poções derramadas, objetos arremessados para o alto, feitiços errantes e fantasmas revoltados faziam com que, constantemente, o tapete e o lustre fossem reparados magicamente. E, depois de serem inúmeras vezes enfeitiçados, acabaram ganhando propriedades mágicas peculiares.

Tapete Ilusório


O Tapete Ilusório, como passou a ser chamado, às vezes faz com que todos os objetos que se encontram encostados nele, juntamente com ele próprio, simplesmente fiquem invisíveis, fazendo com que o Salão Comunal pareça sombriamente vazio por alguns minutos - e deixando alunos novatos em pânico.

Lustre Encantado


Já o Lustre Encantado ganhou um efeito mais agradável. Suas centenas de cristais tilintam melodias suaves, uma nota cristalina por vez. Porém, quando brigas ocorrem no Salão Comunal, esses mesmos cristais tilintam notas velozes, num volume crescente, como se estivessem, também, participando do bate-boca. Mas o Lustre, desde a última vez que despencou do teto e se quebrou no chão, foi preso no teto com a magia mais forte que puderam conjurar, então a mesa de vidro, que fica logo abaixo dele, está relativamente segura.

Quadro dos Antigos Chefes e Alunos Destaque


Com um número cada vez maior de pessoas que já chefiaram a Casa, tornava-se cada vez mais impraticável pendurar pinturas de todos eles nas paredes. Então, uma solução foi tomada: os habitantes de todas essas molduras foram convencidos, um a um, a trocar sua antiga tela por uma nova, especial. Assim, agora todos eles reúnem-se em um único quadro - exceto a fundadora da casa, é claro. Quando um aluno pára para observar esse quadro, ele encontra apenas um dos antigos Chefes, aquele cuja personalidade mais se assemelha à do observador, aquele que o aluno provavelmente teria gostado mais. Mas esse quadro é interativo, e a pessoa retratada pode mudar de acordo com a vontade do observador. E a idéia deu tão certo que também foi criado outro quadro, com a mesma magia, só que menor. Este novo mostra os alunos mais influentes e especiais que a Casa já teve, e a maioria desses alunos retratados adora conversar com os transeuntes, falando sobre o passado ou fazendo críticas aleatórias.

A Varanda e banco das ilusões


A varanda da Torre Sul, conectada ao Salão Comunal, possibilita aos estudantes da Persévérer a vista mais limpa possível da paisagem da ilha. De lá é possível enxergar o Jardim Secreto e o Vilarejo, e, em noites claras, um céu pontilhado de estrelas. Em um dos lados dessa varanda fica posicionado um telescópio, e ao redor deste e de uma pequena mesa com alguns livros de Astronomia, vários bancos cinzentos de madeira. Eles podem não ser muito confortáveis, mas, em noites de lua crescente, diz-se que os alunos que nele se sentarem entrarão em uma ilusão muito realista, sendo transportados para algum outro planeta do vasto Cosmos.

Sotão


Para além disto tudo também existe outro local, muito menos conhecido. No teto logo acima do hall que serve de entrada aos dormitórios existe um alçapão, pouco reconhecível, que serve de acesso ao Sótão Abandonado. Aparentemente não há nada de especial neste lugar, que parece minúsculo graças à enorme quantidade de itens nele escondidos. Por séculos, alunos depositaram dentro dele objetos quebrados, quinquilharias inúteis, artefatos provavelmente roubados e relíquias enferrujadas. Dizem, também, que o Sótão é assombrado por uma boneca que dá gargalhadas assustadoras, mas não se sabe se isso é verdade ou é um boato surgido de noites mal-dormidas.

Sala Secreta


Inaugurada por uma das antigas chefes da casa, em prol de reuniões particulares com os alunos mais velhos – admitia somente maiores de 14 anos - a fim de elaborarem planos e estratégias para o campeonato inter-casas, caiu em desuso pouco após a sua saída. Entretanto, ao longo dos anos, alguns alunos foram passando o segredo da sala e os poucos sabidos costumam utilizá-la para seitas de fins variados nas longas madrugadas. De fato, para quem sabe, entrar na sala oval é uma tarefa simples: basta sussurrar para o fogo da lareira a frase em latim “….” e a chama desaparecerá quando a parede dentro da lareira sumir, abrindo um buraco estreito para dentro do compartimento secreto onde se encontra unicamente uma mesa comprida de madeira rústica e algumas cadeiras em redor e, num canto, uma estante escura com pergaminhos, penas e tinteiros à disposição. O brasão da Persévérer encontra-se exposto numa tapeçaria que cobre um terço da parede. A sala não possui janelas, mas várias tochas foram expostas na parede de pedra conferindo uma luminosidade razoável à sala de aspeto medieval. Seus usuários corriqueiros sabem que a sala está sobre o feitiço Abafiato portanto é otimo para conversas ou discussões ilícitas.

A caveira falante e a bola de cristal


Mas uma das atuais e mais prezadas relíquias da Persévérer fica muito bem à mostra, logo na entrada do Salão Comunal. Jurema, o crânio rosa e fofoqueiro, gosta que a deixem na superfície de uma antiga mesa de mogno, bem visível, só dividindo espaço com a bola de cristal enfeitiçada. Essa bola de cristal, que antes mostrava apenas as aulas que os alunos teriam no dia, foi re-enfeitiçada pelo Chefe da Casa para mostrar àqueles que paravam para observá-la um modo de realizar seu desejo mais urgente, servindo, assim, como motivação aos cinzentos. Na mesma mesa encontram-se os famosos crânios, que ganharam um belo banho de prata, uma das cores oficiais da casa. Embora não sejam dotados de fala, que nem a Jurema, são os objetos que mais contribuem para a imagem externa que se tem do Salão Comunal, ironicamente.

O tanque e barco pirata


Na parede próxima à essa mesa fica um enorme tanque, cheio de peixes ornamentais, e com um barco pirata, que afunda na água à medida que a Casa vai ficando atrás no Campeonato. Para os mais atentos, é possível enxergar pequenos bonecos enfeitiçados, que correm de um lado para o outro pelo convés, bramindo espadas ou limpando o chão sobre o olhar atento do capitão que costuma gritar impropérios cada vez que a cada está perdendo e o navio, consequentemente, afundando.

Alunos Importantes


Ver também